Feeds:
Posts
Comentários

Archive for julho \31\UTC 2009

Ziraldo

Esses dias de chuva não estão sendo muito fáceis. Não dá vontade de sair de casa e a gente fica até desanimado. E agora com tantas escolas adiando o reinício das aulas piorou tudo. No começo do mês tinha dado uma diquinha para dia de chuva, pôr a mão na massa e cozinhar com os pequenos (confira o post aqui). Hoje vou sugerir uma brincadeira-leitura.

Que tal contar histórias embaixo do edredom? Ou montar uma cabana no meio da sala com lençóis e almofadas? Lanternas e pipocas podem compor a cena, mas o que não pode mesmo faltar é um livro, e de preferência do Ziraldo! Ele é o meu autor favorito. Meu primeiro livro foi “Uma Professora Muito Maluquinha” e desde então toda Bienal do Livro estou lá para vê-lo de perto e comprar um livro. Confesso que não li toda a vasta bibliografia, mas o pouco que li me encantou e inspirou MUITO. E tenho certeza que as crianças vão se inspirar junto.

Ziraldo nasceu no interior de Minas Gerais e teve uma infância digna de menino maluquinho. Sabe como ninguém escrever para as crianças, e desconfio que é uma eterna criança. É uma escrita simples, mas cheia de poesia. Lindo mesmo de se ler. Também é cheio de metáforas e temáticas que não estão muito longe das crianças. É claro, Ziraldo nasceu no século passado, então nada de video-games ou televisão. O negócio dele é brincar na rua e no sótão da nossa imaginação. E se você ainda não conhece, recomendo o primeiro livro que ele escreveu para o público infantil: Flicts. É de uma poesia imensa… é difícil pôr em palavras. Leia e saiba você mesmo. O controle de qualidade aqui do blog (Giorgio) já aprovou a história e adora brincar de procurar a cor Flicts por aí. Leiam, leiam, leiam!

FLICTS

Ah, e quando você estiver lendo pras crianças, deixe que elas participem da história e  inventem suas histórias! Peguem papel e lápis de cor e criem um livrinho. Garanto que é mais legal do assistir TV! Já disse aqui e repito, criança quer brincar e quando a gente propõe eles querem mais e mais! Entãããão, proponha!

Read Full Post »

Maurício 50 anos

Atire a primeira pedra quem não passou tardes da infância lendo e relendo as histórinhas da Turma da Mônica! Até hoje guardamos um armário inteiro aqui em casa com os gibis da turminha. Tenho inúmeras lembranças de quando era criança com referência aos personagens de Maurício de Sousa.Eu e o Gian Luca (irmão do meio) cansamos de ir no Parque da Mônica, fomos ao estúdio ver de pertinho como se faz um gibi (duas vezes), fomos a exposição dos quadrões na Pinacoteca, e o Gian até ganhou uma competição da criança que mais sabia sobre a Turma. E o legal de tudo isso é ver que minha mãe lia as histórinhas quando criança, eu e meus irmãos lemos muito e provavelmente meus filhos lerão também 🙂

exposição mauricio

E pra comemorar os 50 anos de carreira do paizão dessa turminha acontece no MuBE (Museu Brasileiro de Escultura) a exposição ‘Maurício 50 anos’. A mostra conta com tirinhas e personagens que não ficaram tão famosos, e também releituras de esculturas e quadros de grandes artistas como Da Vinci e Michelangelo. Uma ótima pra levar os pequenos.Além de verem os personagens do gibi em outros contextos, também é legal por instigar a curiosidade por outros artistas e formas de fazer arte.

Vou aproveitar o gancho pra falar que uma das coisas importantíssimas pra que eu me tornasse uma pessoa que gosta de ler, foi a minha mãe ter lido os gibis da Mônica antes de dormir pra mim e o meu irmão. Portanto, desligue a TV antes de dormir e leia junto com as crianças. Leve-os na livraria, em contações de história, deixem que tenham contato com livros. Depois que o bichinho da leitura morde, a gente não larga mais desse mundo! E os gibis são ótimos aliados!

Maurício 50 anos
MuBE
Av. Europa, 218
De 19 de julho a 18 de agosto
De terça a domingo, das 10h às 19h
Telefone: 2594-2601
Grátis

Read Full Post »

Parece mais slogan de loja de brinquedo, mas brincar não é perda de tempo ou simples passatempo. Primeiro, explico porque vou falar disso. A maioria das pessoas que lêem o blog não são crianças e também não tem crianças por perto (problema de divulgação do blog, rs), por isso resolvi escrever um pouco sobre o brincar, a importância  na constituição do sujeito e por que devemos brincar mais com nossas crianças e com a gente mesmo.

O brincar depende do outro. Não é totalmente espontâneo. Os casos de meninos lobos comprovam isso, eles não riam, não choravam e não brincavam, pois não tiveram o outro para se espelhar. Portanto, a criança brinca porque alguém brincou com ela. E com os bebês são os jogos mais sutis, como dar risada pra mamãe, fazer careta, bater palminha.. a criança brinca e se faz objeto da brincadeira.*

brincar

brincando de 'oceano'

Mas por que a brincadeira é importante? No brincar, a criança dá novo sentido às coisas e reinterpreta o mundo ao seu redor. Freud diz que as crianças são poetas, pois ao brincar fazem metáfora. E dando novo sentido, elas aprendem. Estimulam a imaginação, criam novos mundos, dão lugar as coisas, se colocam em lugares diferentes, criam regras.

Já ouvi muito por aí ‘não é assim que brinca’, e não ouvi de crianças, e sim de adultos. Não há melhor brinquedo, nem melhor brincadeira. Ela tem que ser livre e é muito importante deixar-se levar pelo que a criança propõe. Também ouço de muitos pais: ‘mas eles brincam na escola?’. Sim, ainda bem que elas brincam muito! Na escola, deve ter um tempo livre pra brincadeira livre.  E brinquedos ultra caros que quase brincam sozinhos não fazem muito sucesso. Nessa hora, os blocos de madeira, sucata, bonecas e carrinhos podem ser muitas coisas que nossa cabeça adulta nem imagina. O brinquedo é o suporte pra brincadeira e não a causa.

bolhinha de sabão

bolhinha de sabão

Mesmo assim, o adulto deve estimular a brincadeira, pois como eu disse antes, ela depende do outro. Proponha e ouça bastante também. E agora, pros adultos que não se lembram como se brinca, ou pros que adoram brincar recomendo o curso ‘Palhaços para Curiosos’ dos Doutores da Alegria. Eu fiz no começo desse ano e é maravilhoso! E sim, a gente brinca. E como é bom brincar com gente grande também. Dar risada de si mesmo, descobrir seus medos de criança, cantar, dar cambalhota, pega-pega, esconde-esconde, dança da cadeira…. mas é claro com o toque dos palhaços e tutores da brincadeira, os próprios doutores. Nova turma em agosto!! 😀

e como a gente fica feliz quando brinca, não é?

e como a gente fica feliz quando brinca, não é?

Enfim, brinquem mais, dêem mais risada, não leve a vida tão a sério. Isso eu aprendi com as crianças, e brincando assim você vai ter muito mais paciência com seu filho, sobrinho, vizinho, irmão… as crianças querem brincar, e entendê-las não é tão difícil… é só entrar na brincadeira!

*Algumas informações foram retiradas de uma palestra que tivemos na faculdade. Infelizmente não anotei o nome da palestrante e não acho de jeito nenhum no Google. Ela fez uma tese baseada na brincadeira e a constituição do sujeito e é maravilhosa. Assim que achar dou as devidas referências!

EDIT: Achei! (com a ajuda da querida Lana) O nome dela é Sandra Pavone, com a tese de de mestrado “Brinquedos e cultura: o universo lúdico na contemporaneidade” de 2006.

Também recomendo o artigo do Eugênio Mussak da Revista Vida Simples desse mês: “Adultos: já pra brincadeira” http://vidasimples.abril.com.br/edicoes/082/pensando_bem/conteudo_485582.shtml

Read Full Post »

Os Reis Preguiçosos

Neste final de semana, Sampa recebe uma atração muito especial em comemoração ao Ano da França no Brasil. É o espetáculo “Os Reis Preguiçosos” da Cia Transe Express. E lá fui eu com a família conferir. Lembrando que amanhã tem mais, então se você ler esse post a tempo, cooorre porque vale a pena!

Reis Preguiçosos 004Chegamos em frente ao Museu e já tinha bastante gente sentada nas escadarias e ao redor do do museu. O clima era de total expectativa, ninguém sabia direito o que ia acontecer! Qualquer sinal, barulho ou colorido diferente já animava o público que ia se multiplicando e se apertando no espaço. Enquanto esperavámos alguma coisa acontecer, olhamos para o lado, em direção ao holofote laranja que ilumina o antigo poste e vemos pingos de chuva. ‘Mas ué, não tá chovendo aqui!’ Acreditem se quiser, uma única nuvem, como desenho animado molhavam as pessoas do holofote esquerdo. No lado contrário ninguém nem viu chuva. Eu e mais algumas pessoas pensamos em ser truque da trupe francesa, de tão envolvidos com o clima mágico.

De repente uma movimentação e um corredor começa a se formar. Uma pequena banda de metais sobe a escadaria do Museu e começa a tocar uma alegre canção. E como se fosse mágica mesmo, uma linda carruagem sendo puxada por zebras iluminadas atravessa a multidão. E dentro dela, um rei preguiçoso dormindo. Em menos de dois minutos, outro carro imitando uma cama onde crianças fazem piruetas e o rei canta uma valsa. A cantoria termina e barquinhos começam a surgir. Um rei dentro de sua nave-concha é escoltado por uma criatura do mar.

Reis Preguiçosos 029Reis Preguiçosos 021

É de ficar tontinha! É difícil saber onde ir, mas resolvemos seguir um dos carros e descemos para o Parque da Independância onde mais surpresas nos aguardam. Os cortejos se encaminham pra uma estrutura metálica grande, e que se transforma em um móbile onde cada rei vai brincar de acrobacia ao som da banda tocando melodias francesas. Fantastique! Uma noite mágica, surreal e lindíssima!

Reis Preguiçosos 053

Diquinhas importantes: se for com os pequenos, tome cuidado com a multidão. Espere os carros descerem junto com a maioria do povo e depois vá. No começo é tudo muito tumultuado. Depois fica super tranquilo de caminhar e dá pra ver todos os cortejos. Quando todos se encaminharem pro palco, prefira as laterais que ficam com menos gente do que em frente. Os pequenos vão adorar, pois é um conto de fadas ao vivo! O único problema é a multidão, então prepare os ombros e curta o espetáculo! Vale super a pena!

Os Reis Preguiçosos
Domingo, 19 de julho às 18h30
Parque da Independência – Ipiranga

Read Full Post »

Ontem resolvi tirar o dia pra passear na Av. Paulista e conferir algumas exposições gratuitas. E claro, o Gio foi comigo!

*Gameplay

Fiquei sabendo da exposição no Itaú Cultural vendo uma reportagem do SPTV e achei legal levar o Giorgio, porque ele adora games. A exposição consiste em seis instalações interativas e onze jogos que as crianças podem jogar por quinze minutos. Já vou avisando, a maioria dos games são pra os grandinhos. Para os pequenos são poucos. Mesmo assim, vale a pena pelas instalações. A ‘Diorama Table’ interage com objetos reais e imagens virtuais. Se fazemos um círculo com os cordões disponíveis na mesa,  vira um lago com patinhos. Com o ‘Quadro Sonoro’ desenhamos com uma caneta eBeam (pra mim é uma canetinha sem tinta :P) num quadro e as formas tomam cores e ao final do desenho podemos ouvir o som da nossa ‘obra de arte’. Bem legal! O ‘BioBodyGame’ é uma roupa cheia de leds coloridos que interpretam as sensações do jogador. Azul é calmo, amarelo tenso e vermelho, nervoso.

O Gio só quis jogar o ‘Mario Kart Wii’ e quando terminou os quinze minutos a fila já estava bem grande. É bem organizado com senha e código de barras. Enquanto estávamos por lá, encontramos várias excursões de escola e os educadores do Itaú Cultural promovem discussões sobre os games violentos, as instalações, e claro tempo pra todo mundo aproveitar. Pequenos de menos de 10 anos vão aproveitar menos, mas mesmo assim sempre vale a pena 😉

Itaú Cultural
Av. Paulista, 149
Telefone: 2168-1777
2 de julho a 30 de agosto de 2009
terça a sexta 10h às 21h
sábado, domingo e feriado 10h às 19h
Entrada Franca

fotos

*Vik

Terça-feira é dia de ir no MASP! Entradas de graça pro museu, tem coisa mais legal? E mesmo que você não consiga ir no meio da semana,  a exposição ‘Vik’ do artista brasileiro Vik Muniz vale pagar o ingresso. A mostra reúne os trabalhos mais importantes dos quase 30 anos de carreira do fotógrafo, escultor, maluco, criativo e ARTISTA! Todas as obras são fotos, inclusive as das esculturas e são todas propostas maravilhosas. Desenhos na areia feitos com escavadeiras com mais de 80 metros e outros feitos ali, na areia do parquinho que não passam de 30cm. Ou que tal adivinhar qual foto é de uma nuvem parecendo um ursinho, ou qual é uma pegadinha do artista em que ele msmo fez com pedaços de algodão. Ou ainda, descobrir os diferentes brinquedos que compõe a cena de um homem triste. E mais! Se deliciar com as sombras feitas com calda de chocolate e descobrir Jackson Pollock! Poderia ficar aqui escrevendo sobre as obras, mas ia estragar todas as belas surpresas.

E pra ir com criança no museu tem que ter paciência. O máximo de concentração em cada obra pode chegar no máximo um minuto, então o legal mesmo é propor esses jogos que são inevitáveis quando estamos cara a cara com as obras. O Gio adorou, mesmo com a pouca paciência. E eu acho o máximo as crianças terem a opotunidade de verem obras tão malucas e ao mesmo tempo geniais e descobrirem que elas fazem arte todo dia! Lá na exposição tinha uma frase do Vik Muniz dizendo sobre as crianças, mas sabe como é, não deu tempo pra ler e não me lembro direito. Mas achei esse trecho que resume um pouco do que eu vi e percebi: “Procuro fazer um trabalho que agrade de uma criança como minha filha a um graduado de Harvard”, confirma Vik. “Minha intenção inicial é conseguir uma reação física do espectador, atraí-lo, cativá-lo. A partir do momento em que consigo isso, posso comunicar a informação que quero passar. Meu sonho é mudar a forma elitista com a qual a arte é encarada. Não acredito na separação entre o popular e o inteligente, como se fossem coisas antagônicas.

Vik
Museu de Arte de São Paulo – MASP
Av. Paulista, 1578
Telefone: 3251-5644
R$15 inteira, R$7 meia para estudantes
Menores de 10 anos e maiores de 60 não pagam
Terça-feira é gratuito para todos!
terça a domingo e feriados, das 11h às 18h;
Às quintas, das 11h às 20h.
Até 19 de julho!

Read Full Post »

Com ajuda de algumas dicas da Paula e do Guia do Estadão reuni 3 diquinhas culturais para esse feriado (inclusive para hoje, dia 9!), e o melhor: todos de graça! 🙂 Aproveitem!

*Risque e Rabisque

rabiscos_gde

Inspirada na obra ‘Rabiscos’ de Taro Gomi a oficina Risque e Rabisque, da Editora Cosac Naify apresenta o almanaque gigante, possibilitando os pequenos interagirem com a obra e com os recursos artísticos! Recomendação é de 3 a 8 anos. O livro parece ser bem legal! Tem 250 páginas com brincadeiras e espaços para fazer arte. É dividido em temas: roupas e estampas, atividades nas montanhas, expressões e sentimentos, viagem submarina, comidas saborosas, clima, chapéus, meios de transporte, letreiros e tipos de flores. Ótimo passatempo para as férias!

Livraria Cultura Shopping Bourbon Pormpeia
Rua Turiassu, 2100
Telefone: 3868-5100
Hoje, dia 19 às 17h

*Proibido Não Tocar – Crianças em Contato com a Obra de Bruno Munari

A parte mais chata pras crianças irem numa exposição ou museu é quando todos os adultos mandam colocar as mãozinhas para trás. Realmente deve ser muito chato! Ainda mais pros bem pequenos que estão numa fase de exploração, principalmente por meio do tato. As obras do designer Bruno Munari propõem o contato dos pequenos com a arte, assim criando um espaço lúdico e aberto pra brincadeira. Deve ser super! Fiquei muito curiosa pra conhecer!

SESC Pinheiros
Rua Paes Leme, 195 – Pinheiros
Telefone: 3095-9400
Terça a sexta, das 10h30 às 21h30
Sábados, domingos e feriados das 10h30 às 18h30.
8/7 a 23/8

*Contos e Encantos

Um passeio pela cultura brasileira guiada por uma caça ao tesouro no Museu das Moedas é o que o grupo As Meninas do Conto vão apresentar pra criançada. A atividade será realizada todos os domingos do mês de julho, mas precisa se inscrever antes!! São 35 vagas por dia e a produção recomenda para crianças a partir de 5 anos e os pais também podem participar da brincadeira. A bagunça toda acontece no Itaú Cultural.

Auditório do Museu de Numismática Herculano Pires – Itaú Cultural
Av. Paulista, 149 – Paraíso
Telefone para inscrições: 2168-1779
Todos os domingos de julho(5, 12, 19, 26)
16h às 17h30
35 vagas para crianças e adultos

SESC Pinheiros

08/07 a 23/08.
Terça a sexta, das 10h30 às 21h30. Sábados, domingos e feriados, das 10h30 às 18h30.

Read Full Post »

Empolgada com a notícia de que Charlie e Lola virou peça de teatro, fui comprar ingressos logo nesse sábado de manhã. Chegando na bilheteria do Teatro das Artes, no Shopping Eldorado, todas as sessões de julho estavam praticamente lotadas com lugares no fundo. Antes que eu pudessde dizer a moça, muito gentil,  que deixaria pra próxima, o Gio me cutucou dizendo “Ah, Giu, vamos ver a peça dos Beatles, por favor!”. O grande cartaz da peça “Beatles num céu de diamantes” logo na entrada chamou sua atenção. Perguntei quais eram os dias e horários, e tinha a segunda fileira inteira disponível pro dia seguinte às 19h da noite. E o preço era o mesmo de Charlie e Lola. Liguei pra casa pra saber se mais alguém queria vir, mas meu pai achou caro, então comprei só dois.

Cartaz na entrada do teatro.

Chegamos um pouco mais cedo, e vi que muitas crianças também estavam lá. Achei muito legal! Famílias inteiras vieram ao teatro para ver Beatles, que demais! Sentamos bem no meio da segunda fileira, lugares privilegiados para chamar a pouca atenção do Giorgio. Ele estava ansioso e disse que queria ouvir eles cantando “Strawberry Fields Forever”. Começou, e até o meio da peça ele ficou bem atento, até me repreendeu quando eu estava cantando. “Shiu, Giu, quero ver a peça”. Mas, nas músicas mais lentas ele ficou um pouco impaciente perguntando se ainda ia demorar muito. Porém, a peça é intercalada com momentos mais emocionantes, outros engraçados e de bastante ação, então a impaciência do Gio passava logo.

beatlesgio-pola

Gio em cima do palco no final da peça.

É uma peça sem história, apenas as músicas. Pode parecer um tanto chato, mas para mim a experiência é sempre válida, ainda mais com os pequenos do lado. Vi a reação de algumas crianças e o jogo de luz, a emoção dos atores, o cenário, tudo isso é percebido de algum jeito pelas crianças. E acho que não preciso me estender aqui falando sobre o quanto isso é válido para o desenvolvimento delas. Cultura, minha gente.

Saldo final: uma ótima experiência, cantores e atores dando show na emoção e na voz, e um cenário de encher os olhos. A recomendação da produção é 10 anos, mas acho que com 8 já dá pra aproveitar bastante! Corre que a peça está nas últimas semanas e com promoção de ingresso à R$50!

BEATLES NUM CÉU DE DIAMANTES
Espetáculo de Charles Möeller e Claudio Botelho

Temporada: de 13 de março a 26 de julho
Local: Teatro das Artes (Shopping Eldorado – Av. Rebouças, 3970, 3º piso)
Telefone: (11) 3034-0075
Horários: sexta às 21h30 / sábado às 21h30 e domingo às 19h
Classificação etária: 10 anos
Duração: 1h30
800 lugares
R$50

Read Full Post »

Older Posts »